Radiofármacos PET

Uma das mais recentes tecnologias de Diagnóstico na Medicina Nuclear, designada Medicina Molecular, assenta essencialmente no diagnóstico por imagem, agora conhecido pela sigla PET (Positron Emission Tomography – Tomografia por Emissão de Positrões).
O produto mais utilizado, e dos primeiros a ser administrado aos doentes foi o
18FDG, uma molécula de glicose modificada com um átomo de fluor radioativo. Os tumores, que têm uma atividade metabólica elevada vão captar mais FDG que o resto dos tecidos, aparecendo destacados na imagem adquirida pela câmara PET.
O PET é um método de diagnóstico não invasivo que nos informa através de imagens tridimensionais a função dos órgãos a estudar.

Os principais Radionuclídeos usados na PET são:
18Fluor
13Nitrogénio
11Carbono
82Rubídio
68Galio

Neste momento os exames PET estão indicados para a Oncologia, Neurologia e Cardiologia.
Com a evolução da tecnologia, as câmaras PET, agora PET/CT, permitem a fusão das imagens de diagnóstico da Medicina Molecular PET com as da Radiologia, sobrepondo a função metabólica à imagem anatómica do TAC, formando-se uma nova imagem hibrida.
A ISODER SA, em parceria com o ICNAS de Coimbra e a IBA de Espanha disponibiliza aos Centros de Medicina Nuclear os seguintes produtos: 18FDG, 18F-Colina, Na18F, 68Ga-DotaNOC e 18F-DOPA, existindo outros em desenvolvimento.

LINKS

 

    logo_iba    logo_eckertlogo_icnas